Todo site em 12x sem juros no cartão de crédito e FRETE GRÁTIS p/ São Paulo capital!!!

Uma volta na região francesa de sotaque alemão

Uma volta na região francesa de sotaque alemão

No coração da Europa, a linda Alsácia esbanja vilas medievais deslumbrantes, mais restaurantes Michelin do que qualquer outro lugar da frança e inúmeras possibilidades de surpreender a cada garrafa aberta. 

Agora, uma volta por essa região francesa de sotaque alemão. 

Será essa a confusão que não permite os vinhos dessa encantadora região decolarem? Alsace foi da França, passou para a Alemanha, voltou para a França… (e isso se repetiu algumas vezes). E no fim, seu maior tesouro é uma uva Alemã plantada em território, hoje, francês. Ou seria o estranho, old fashion, formato das garrafas chamado flutes? Ou mesmo porque até pouco tempo, o mundo do vinho só bebia tintos e os brancos representam quase 90% da produção da Alsace? 

Entender o terroir alsaciano também não é tarefa leviana. Possivelmente a maior diversidade de solos do mundo do vinho, por volta de 20 formações, e somente no domaine que importamos, o importantíssimo Barmés-Buecher, temos um tour completo por solos argilo-calcários, arenito, granito e solos marinhos de calcário muito antigo do Triássico. Isso se deu pelo complexo movimento tectónico entre a Floresta Negra e os Vosges, resultando em um total de 800 terroirs diferentes (incluindo não apenas solos mas outros aspectos também). O Master of Wine Olivier Humbrecht comenta que a Borgonha é complexa em sua formação, mas a Alsácia…  A Côte d’Or corre de norte a sul, com excessão de alguns combes, mas na região mais ensolarada francesa as falhas geológicas correm também no sentido oeste/leste. É um verdadeiro masaico que existe como uma paleta de cores infinitas para seus artistas pintarem o melhor que a natureza pode proporcionar. 

No Barmés-Buecher, terroir é tudo. O pequeno domaine familiar é parte grupo Alsace Crus & Terroirs, composto por 19 membros (principalmente pequenas propriedades mas também conta algumas poucas grandes famílias, como Trimbach) que lutam para divulgar o imenso patrimônio que envolve o tão precioso ‘senso de lugar’. Para você ter uma ideia de alguns dos nomes dessa aliança de grandes vinhos, aqui vai alguns deles:  

Albert Boxler
Albert Mann
Marc Kreydenweiss
Ostertag
Valentin Zusslin
Zind-Humbrecht
Weinbach

É um prestígio ter Barmés-Buecher ao lado de nomes grandiosos como esses, mas não é à toa que está lá. 

O clima é tão importante na concepção de terroir como sua terra. As estações longas, secas e temperatura amena propiciam um amadurecimento perfeito até mesmo a variedades de ciclo longo.  A humidade, inimiga do cultivo sem químicos, quase não existe aqui e faz dessa região o cenário ideal para a viticultura orgânica e biodinâmica. Isso devido aos Vosges, que bloqueiam os ventos e tempestades vindas do oeste fazendo da Alsace a mais seca e ensolarada da França.  O extremo paralelo norte, para o cultivo de uvas, junto da proteção dos Vosges proporciona um climax de complexidade com expressão clara de aromas. São sabores e mais sabores explodindo nas nossas bocas como uma precisão à laser alemã que caminha de mãos dadas com a ‘ternura’ textural francesa.  

É com toda essa complexidade em mente que nós recomendamos uma experiência transcendental com a uva Riesling, conhecida mundialmente por ser um veículo de lugar, nos diferentes terroirs que Barmés-Buecher possuí terra. 

Riesling Herrenweg 2018

Lieu dit de Turckheim, é uma vinha de planície plantada em solo arenoso com elementos aluviais. Sua estrutura é conhecida por reagir rapidamente aos caprichos climáticos de cada ano. Herrenweg produz vinhos abertos e complexos nos quais o carácter da vindima evoca toda a sua originalidade. 

Riesling Rosenberg 2017

Rosenberg (Montanha das Rosas) possui colinas com geologia variada, onde predomina arenitos argilo-calcários. As parcelas do produtor, principalmente viradas para Leste ou mesmo para Norte, são plantadas em solos ricos onde as vinhas prosperam. Produzimos vinhos de bela maturidade, gordos, elegantes, com uma personalidade forte, que melhoram com o tempo em garrafa. 

Hengst Grand Cru 2017

"L'Etalon", um nome que caracteriza a rusticidade do Grand Cru de Wintzenheim. As vinhas de cerca de quarenta anos e essencialmente viradas para sul, encontra-se em um solo generoso de marla calcária. Aqui são produzidos vinhos poderosos, estruturados e condimentados, que recompensam com longos anos de garrafa. 

Com toda essa riqueza geológica e cultural, a Alsácia ainda passa despercebida entre muitos bebedores de vinho à sério. Temos que mudar essa história, pois além de grand vins de terroir, a região oferece ainda custo benefício. O que confirma Julia Harding MW no jancisrobinson.com “O resultado positivo é que existem alguns vinhos de altíssima qualidade a preços muito razoáveis”. Tudo isso prova que chegou a hora de trazer a luz da região mais ensolarada da frança à sua taça com mais frequência.  

Encontre esses maravilhosos Rieslings de terroir em nosso site: www.011import.com.br

0 comentários 0

Deixe um comentário